Rafael Carvalho/Governo de Transição
Rafael Carvalho/Governo de Transição

'Se houver indulto para criminosos neste ano, certamente será o último', diz Bolsonaro

Pelas redes sociais, presidente eleito comenta o julgamento do perdão judicial marcado para esta quarta-feira no STF

Gustavo Porto, O Estado de S.Paulo

28 Novembro 2018 | 13h14

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) informou há pouco, em postagem no Twitter, que o indulto a presos no País, caso concedido, será o último. "Fui escolhido presidente do Brasil para atender aos anseios do povo brasileiro. Pegar pesado na questão da violência e criminalidade foi um dos nossos principais compromissos de campanha. Garanto a vocês, se houver indulto para criminosos neste ano, certamente será o último", relatou Bolsonaro.

Hoje, o Supremo Tribunal Federal (STF) retoma o julgamento da ação que discute a validade do indulto editado pelo atual presidente, Michel Temer (MDB), em 2017. O perdão normalmente é concedido pelo presidente da República nos finais de cada ano para condenados que tenham cumprido um quinto de penas em crimes sem violência ou grave ameaça.

O procurador Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Operação Lava Jato, considerou que o decreto tem efeito devastador sobre "o passado, presente e futuro" e informou que vários condenados pela operação devem ser libertados.

Procuradores da Lava Jato estão convocando internautas para um "twitaço" contra o indulto de Michel Temer. O ato online está marcado para as 14h desta quarta-feira, 28. Até às 12h30, a hashtag #indultonao estava entre os três assuntos mais comentados do Brasil no Twitter.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.