Adriano Machado/Reuters
Adriano Machado/Reuters

Se há rusga, comandante tem que intervir, diz Mourão sobre Salles e Ramos

Para o vice, Bolsonaro tem de dizer aos ministros: 'Gente, vamos baixar a bolinha aí, se acalmar e vamos respeitar-se'

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2020 | 10h43

BRASÍLIA - Após a tentativa de pacificação entre os ministros Ricardo Salles, do Meio Ambiente, e Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, o vice-presidente Hamilton Mourão sinalizou uma intervenção do presidente Jair Bolsonaro para resolver o assunto. "Os ministros são o 'Estado-Maior' do presidente. Se está havendo alguma rusga entre membros do 'Estado-Maior', o comandante tem que intervir e dizer: gente, vamos baixar a bolinha aí, se acalmar e vamos respeitar-se", afirmou Mourão ao chegar no Palácio do Planalto nesta segunda-feira, 26. 

O embate entre os dois ministros foi tornado público na semana passada após o chefe do Meio Ambiente se referir ao general como "Maria Fofoca". O impasse envolve uma suposta articulação do ministro palaciano para tirar Salles do governo. No domingo, 25, Salles pediu "desculpas pelo excesso" em mensagem publicada no domingo, 25, enquanto Ramos disse que "uma boa conversa apazigua as diferenças"

 

O vice-presidente afirmou ainda nesta segunda que divergências são normais. Ele cobrou, no entanto, que esses impasses sejam tratamentos internamente, e não para o público. "Quando for discutir determinados assuntos, tem que discutir intramuros, e não por fora", disse Mourão. Na última sexta-feira, 23, o vice-presidente classificou a atitude de Salles como "péssima" ao chamar Ramos de "Maria Fofoca".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.