Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

Se funcionária não puder atuar em casa, isso vai ser alterado, diz Temer sobre suposta babá

Presidente afirmou que questionamento era até ofensivo, já que seu filho de 8 anos não precisava de babá

Luci Ribeiro e Thaís Barcellos, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2017 | 10h52

O presidente Michel Temer comentou, em entrevista a rádios regionais transmitida nesta segunda-feira, 15, pela EBC, a informação de que a "babá" de seu filho Michelzinho está lotada em cargo de confiança pelo Palácio do Planalto. "Se a funcionária não puder atuar lá em casa, isso vai ser alterado."

Questionado pelos entrevistadores, Temer disse que a pergunta era ofensiva já que seu filho de oito anos não precisava de babá. O que há, segundo ele, é uma "senhora que cuidava que tem contrato pelo Planalto". Depois, Temer explicou que saiu da estrutura da Vice-Presidência para a da Presidência e que agora estão fazendo adequações para saber "se pode ou não haver serviços por lá."

Segundo reportagem do jornal O Globo publicada neste domingo, 14, o Palácio do Planalto emprega a babá do filho de Temer Leandra Brito como assessora do Gabinete de Informação em Apoio à Decisão (Gaia), órgão responsável por assessorar o presidente da República. 

Segundo o Diário Oficial da União (DOU) Leandra Barbosa dos Santos Brito é lotada em um cargo de confiança no gabinete pessoal de Michel Temer. A edição do dia 16 de novembro de 2016 traz sua nomeação como assessora técnica no Gabinete-Adjunto de Informações em Apoio à Decisão do Gabinete Pessoal do Presidente da República. Para isso, Leandra foi exonerada de um cargo anterior, também no Gabinete Pessoal do presidente, de assistente no Gabinete-Adjunto de Gestão e Atendimento, e passou de um cargo DAS nível 2 para um DAS nível 3, de salário maior.

De acordo com reportagem d'O Globo, Leandra disse que não é babá de Michelzinho, mas não teria exemplificado que trabalho desenvolve no Planalto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.