Scott, condenado por pregar peças em pilotos de avião

Eram ?pegadinhas?, mas custaram, hoje, ao australiano Scott Bradley Pike, de 20 anos, uma condenação a seis meses de prisão. E poderiam ter causado algo mais grave: um acidente aéreo. A brincadeira de Soctt foi mandar mensagens de rádio falsa a pilotos que voavam para o Aeroporto de PerthScott declarou-se culpado de duas acusações de infringir o Radiocommunications Act, de 1992, em relação a uma série de mensagens ameaçadoras e estrambóticas que transmitiu a pilotos e controladores de vôo, em dois dias, no início de março.O tribunal de Perth, no estado de Western Australia, foi informado de que jovem estava sob influência de álcool e maconha quando enviou uma mensagem de bomba; disse a uma tripulação para saltar de pára-quedas, porque o seu avião estava em chamas; pediu permissão para cruzar pistas de pouso e decolagem em atividade; e cantou cantigas de ninar.O advogado de Scott, Rod Keeley, assegurou à corte que uma avaliação psiquiátrica de seu cliente havia revelado que ele era ?muito mais imaturo que a média de pessoas de 20 anos? e ?sempre tinha sido fascinado por rádios?.Segundo ele, qualquer um que ouvisse as mensagens teria imediatamente percebido que alguém estava pregando uma peça, mas admitiu que ?havia certamente um potencial de perigo? nelas. O juiz Richard Bromfield sentenciou Scott a seis meses, mas suspendeu a sentença sob a condição de que Scott terá de cumpri-la se cometer outra infração.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.