Saúde foi alertada em março de 2003 sobre fraudes no sangue

Mesmo depois de ter sido alertado sobre as irregularidades na licitação internacional para a compra de hemoderivados, em março de 2003, o Ministério da Saúde não cancelou o processo, segundo um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU). O ministério confirmou nesta sexta-feira que já sabia das irregularidades antes da licitação, mas alegou emergência e que as denúncias eram anônimas. Segundo o subsecretário de Administração, Ivan Coelho, depois do processo, o ministro Humberto Costa solicitou a investigação pelo Ministério Público Federal, Polícia Federal e TCU.As fraudes tinham sido feitas por uma das empresas que participaram da concorrência e havia pelo menos uma ação civil pública mostrando os erros cometidos pela comissão permanente de licitação, na época comandada por Mário Machado da Silva, um dos seis funcionários que tiveram a prisão temporária decretada na quarta-feira. ?Não obstante o ministro da Saúde tenha tomado conhecimento formal dos fatos e encaminhado o assunto à consultoria jurídica, as licitações não foram suspensas para apuração das denúncias. Houve a homologação dos resultados?, afirma o TCU.O ministro da Saúde acha que saiu fortalecido da crise. ?Durante o encontro com o presidente, ele manifestou claramente o seu apoio?, afirmou. ?O desenrolar das investigações demonstrou que estávamos dispostos a ir ao ponto central do problema. Não interessa de qual partido seja o infrator, as investigações e punições vão até o fim".Os trabalhos demonstram que a rede, que envolvia fraude nas licitações, eram realizadas desde a década de 90. Esta a principal tese de defesa do ministro Humberto Costa. Integrantes do seu ministério, nomeados em sua gestão, no entanto, também estão envolvidos no esquema. O ministro disse que agora trabalha para montar um equipe à prova de corrupção. Para isso, solicitou a participação permanente de auditores da Controladoria Geral da União na área responsável pela compra de medicamentos e outros insumos. Leia mais sobre a Operação VampiroAcusados na Operação Vampiro têm sigilos quebrados Que não fique pedra sobre pedra, diz Lula a ministro Operação Vampiro considera Rommel o mentor Operação Vampiro investiga mais 10 envolvidos Operação Vampiro prendeu 17 pessoas Operação Vampiro prende empresário no Rio Polícia acha dinheiro na casa de funcionário da Saúde Operação Vampiro prende três em SP

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.