Saúde de Lula é preocupação para Dilma, diz 'Time'

Revista cita a opinião de analistas, para quem Dilma precisa de Lula ao seu lado.

BBC Brasil, BBC

03 Fevereiro 2010 | 17h54

Uma reportagem publicada nesta quarta-feira na edição online revista americana Time afirma que os problemas de saúde enfrentados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na semana passada podem afetar as chances de sua candidata à sucessão presidencial, Dilma Rousseff.

"O problema se saúde sofrido pelo normalmente saudável presidente é uma grande preocupação para Dilma", diz o texto, assinado pelo correspondente da revista em São Paulo, Andrew Downie.

"Analistas concordam que, para ter alguma chance de ser eleita, Dilma vai precisar do popular Lula ao seu lado", afirma a reportagem, ao lembrar que a ministra-chefe da Casa Civil nunca concorreu a um cargo e ainda é "pouco conhecida e pouco admirada" pelo público brasileiro.

Lula foi hospitalizado na semana passada após sofrer uma crise de hipertensão.

Popularidade

A revista cita analistas políticos brasileiros para afirmar que dúvidas sobre se Lula terá condições de enfrentar uma campanha eleitoral ao lado de sua escolhida para a sucessão representam um sinal de alerta para Dilma e mostram como a ministra é dependente da popularidade do presidente.

O repórter afirma também que as preocupações com a saúde de Lula surgiram depois de problemas de saúde da própria Dilma, que tratou de um câncer no ano passado.

O texto cita pesquisas de intenção de voto, que mostram Dilma atrás do governador de São Paulo, José Serra, e afirma que a ministra ainda precisa se tornar mais conhecida pelos eleitores, especialmente nas regiões mais pobres e remotas do país.

A reportagem afirma, porém, que ainda é "uma questão em aberto" se Dilma vai conseguir construir uma base forte de apoio eleitoral "sem seu carismático mentor a seu lado".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
dilmalulatimeimprensaeleição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.