Reprodução Twitter/Jair Bolsonaro
Reprodução Twitter/Jair Bolsonaro

Saúde de Bolsonaro, condenação de Lula e 1ª semana no Congresso: a política na semana

Confira um resumo dos principais fatos da política nacional nos últimos dias

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2019 | 11h16

A semana na política foi marcada pelos primeiros dias de trabalho na Câmara dos Deputados, por complicações e melhoras na saúde do presidente Jair Bolsonaro, por uma nova condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e por trocas partidárias no Senado Federal

Veja abaixo um resumo com os principais fatos da política nacional. 

Presidente internado

Após ter pneumonia detectada na quarta, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) reagiu ao tratamento e apresentou melhoras na sexta. Os bons resultados nos exames e a aceitação de dieta líquida fizeram a equipe médica optar pela retirada do dreno no abdômen e da sonda nasogástrica. O quadro de pneumonia, no entanto, inspira cuidados e exige tratamento de pelo menos sete dias, o que indica que o paciente precisará ficar internado no mínimo até a próxima quarta-feira, quando completará uma semana de uso dos medicamentos contra a doença.

10 meses de Lula preso e nova condenação 

Réu em seis processos além das duas ações em que foi condenado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva completou dez meses de prisão na última sexta-feira, 8. Ele enfrenta a perspectiva de ter até 110 anos somados às sentenças que já recebeu. Esse é o tempo máximo a que as penas podem chegar nos casos que ainda não foram julgados, se a interpretação mais dura possível for aplicada em todos os processos – as penas mínimas nos seis processos somam 31 anos. 

Na Câmara, 527 projetos em 4 dias

Apenas nos quatro primeiros dias de mandato, os parlamentares apresentaram 527 projetos de lei, segundo levantamento feito com auxílio do InteliGov, plataforma que faz o acompanhamento das tramitações no Legislativo. É mais que o dobro do número protocolado no mesmo período da Legislatura anterior (223), em 2015, e 14 vezes mais do que o apresentado na Legislatura de 2007 (37).

Dança das cadeiras: em 90 dias, 12 trocas no Senado

Mesmo após uma eleição marcada pelo discurso de novas práticas políticas, 12 senadores já trocaram de partido desde outubro do ano passado. O troca-troca partidário mudou a dinâmica de forças entre as bancadas da Casa, diminuindo a importância de siglas tradicionais, como o PSDB, e colocando em destaque novos grupos partidários, a exemplo do Podemos e do PSD. A forte renovação de 2018 – apenas 8 dos 54 senadores foram reeleitos – não evitou que uma parcela significativa desses parlamentares protagonizasse ‘traições’ partidárias ou acordos envolvendo 12 partidos

Possível lavagem de Flávio Bolsonaro também será investigada na esfera criminal

Uma nova investigação sobre o senador Flávio Bolsonaro foi aberta, desta vez no Núcleo de Combate à Corrupção do MPF. No procedimento, o órgão vai analisar a evolução patrimonial do senador. A investigação começou depois de um advogado ter enviado uma denúncia contra o parlamentar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.