Saúde de ACM se ressente da agitação política dele

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) sentiu esta semanaos efeitos em sua saúde da intensa batalha política que vem enfrentando nos últimos meses com o Palácio do Planalto ecom o seu maior adversário, o presidente do Congresso, senado Jader Barbalho (PMDB-PA).Na última terça-feira à noite, ACMque tem 72 anos e é diabético, viu a sua taxa de açúcar no sangue subir e acabou sendo obrigado a ceder aos médicos edar início à ingestão de insulina.Na terça, ele foi atendido pelo serviço médico do Senado, onde ficou até as 23 horas e, nodia seguinte, repetiu a dose.?Ele está tentando controlar a glicose?, resumiu um dos médicos do senador, Bernardino Tranquesi, a quem ACMprocurou na noite da última terça-feira, quando não se sentiu muito bem. ?Mas os exames estão controlados?, assegurouTranquesi.Na quarta à noite, Antonio Carlos voltou a ser atendido pelo serviço médico do Senado, para tomar uma novadosagem de insulina, que deve passar a ser diária.Há duas semanas o senador precisou se internar em um hospital em Salvador por causa de uma febre.Mas, depois dotratamento, Antonio Carlos entusiasmou-se com os resultados de seus exames de sangue, feitos na quarta-feira dasemana passada, muito abaixo dos índices considerados aceitáveis. Ele chegou a ter hipoglicemia.ACM, que vive submetido a um estado de tensão permanente e a uma intensa agenda política, com freqüentes viagenspelo interior do Estado, se animou tanto com os exames que chegou até mesmo a comer chocolate, o que não é permitidoa diabéticos.Logo, houve novo aumento da taxa de açúcar no sangue a níveis absurdos, debilitando o senador que acabouconvencido por dois médicos amigos a ceder à insulina.Nesta quinta-feira, ACM disse que já se sentia bem, com as taxas normalizadas.Depois do susto, o senador baiano decidiu se submeter a uma dieta rigorosa e revelou que abandonou os doces.Apesarde contente com o fato de seu pulmão e seu coração estarem ?muito bem?, segundo ele, o senador ainda está abatido por causa daquantidade de remédios que está tomando, inclusive laxantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.