Saúde amplia verba para hospitais filantrópicos

Hospitais filantrópicos receberão do governo federal um incentivo financeiro para garantir 70% dos leitos e do atendimento ambulatorial a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Sobre o valor pago pelas internações nesses hospitais, haverá um acréscimo de 8% a 25%. Hospitais de referência, que oferecem transplantes, cirurgias complexas, UTI neonatal, hemodiálise e atendimento a partos complicados, serão premiados com o maior porcentual.O Ministério da Saúde também aumentará em 15% a remuneração a hospitais filantrópicos indicados por secretários de saúde dos Estados. O secretário de assistência à Saúde do ministério, Renilson Rehem, garante que a indicação não seguirá ?conveniências políticas? dos secretários porque o hospital precisará atender a grande número de pacientes em determinadas especialidades e localidades.A escolha deve ser compatível ainda com o plano de regionalização da saúde que os Estados já enviaram ao ministério, no ano passado, definindo os centros de referências em cada região. ?A indicação deverá ter uma lógica do ponto de vista da assistência à saúde e também geográfica.? Para entrar na lista, as instituições não podem ter denúncias de cobranças indevidas ou mau atendimento. Precisam também prestar serviços de urgência e emergência durante todo o dia e fornecer endereços corretos dos pacientes. O governo envia cartas a essas pessoas para investigar a qualidade do atendimento. No Estado de São Paulo, 20 instituições se beneficiarão com o adicional de 25%. Entre elas, a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Santos, detentora de 734 leitos; a Fundação Civil Casa de Misericórdia de Franca, com 600 leitos; e Associação Hospitalar de Bauru com 536.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.