Saturnino: Jader pode ir ao Conselho de Ética

Em aparte ao pronunciamento que o presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), fez para se defender de denúncias de corrupção e negar que tenha feito acordo para livrar o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) da cassação, em troca de ele próprio se livrar de um processo semelhante, o senador Saturnino Braga (PSB-RJ) disse que Barbalho pode vir a ser julgado pelo Conselho de Ética por ter faltado com a verdade quanto a seu envolvimento com o principal fraudador da Sudam, Osmar Borges. O aparte foi pedido por Saturnino, depois de Barbalho ironizar: "Se o senador Saturnino não tiver cuidado, vai acabar me incluindo no relatório dele (no processo da violação do painel de votação eletrônica, do qual o senador fluminense é relator). É uma situação difícil, pois o debate passa a ser irracional, pois o episódio do painel é do painel". Em resposta, Saturnino Braga afirmou: "O Conselho de Ética faz julgamentos de natureza política. Não se fundamentará nas acusações que Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) fez a V. Exa.(de envolvimento com irregularidades do Banco do Estado do Pará - Banpará), que são gravíssimas, mas estão na esfera do Ministério Público. Entretanto, amanhã V. Exa. pode vir a ser julgado por ter faltado com a verdade, pois está envolvido neste caso (Sudam) e pode ser julgado, sim. As duas coisas são distintas - o painel e a situação de Jader -, mas há senadores do PMDB que não gostaram, quando V. Exa disse que nada tinha a ver com Osmar Borges, mas depois se mostrou que V.S. e sua esposa (Márcia Centeno) tinham negócios com dele. Vossa Excelência faltou com a verdade perante seus companheiros". Quanto ao relatório sobre a violação do sigilo do painel de votação eletrônica, Saturnino Braga assegurou que o nome de Jader Barbalho não vai figurar nele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.