Saturnino diz que Garotinho não se sustenta até abril

O senador Roberto Saturnino (PSB-RJ) afirmou hoje estar absolutamente convencido de que a candidaturado governador do Rio, Anthony Garotinho, à presidência da República em 2002, não sesustenta até abril. Garotinho foi lançado candidato durante o VIII Congresso Nacional doPSB, realizado neste final de semana em Brasília. De acordo com ele, as coligaçõesestaduais levam a uma aliança com o PT, o que acabará interferindo na chapa parapresidência.Saturnino afirmou que existe um racha claro na legenda, apesar de, publicamente, eleser o único expor a sua posição. ?O mal estar é crescente. O mais natural é que acandidatura mingue até o ano que vem?. Ele disse, contudo, que só deixará a legenda seo partido, na convenção do ano que vem, mantiver a candidatura de Garotinho. O governador do Rio, Anthony Garotinho, divulgou uma nota na qual afirma que asua candidatura foi aprovada por unanimidade no Congresso realizado em Brasília. Deacordo com a nota, ?por aclamação, os quase três mil delegados referendaram adecisão anterior da Direção Nacional do Partido de lançar candidatura para o mais altocargo da Nação?.A nota prossegue afirmando que o clima de harmonia e entendimento no Congressofoi tão grande que, por consenso, os trabalhos da Plenária acabaram um dia antes doprevisto ? no sábado à noite, ao invés do domingo à tarde, como previsto anteriormente ? em função da aprovação das teses partidárias, entre elas, a da candidaturapresidencial.Quanto à uma possível recusa da deputada Luíza Erundina (PSB-SP) em ser vice deGarotinho na chapa presidencial, proposta apresentada pelo Movimento das Mulheres doPSB, a deputada voltou a lembrar que seu projeto político está centrado em São Paulo,como uma forma de reforçar a legenda no Estado. Uma liderança do partido declarou que, após o Congresso, foi firmado um ?pacto? emtorno do nome do Garotinho. ?Não sei se é um racha, mas existe uma tensão, doisgrupos claramente definidos?. De acordo com essa liderança, o partido precisa crescernacionalmente e aproveitou o desejo de Garotinho de ser presidente para aumentar arepresentatividade da legenda. ?Não sei se esse pacto dura até dezembro. Existe umprazo até abril para ver se a candidatura decola?. O governador do Rio, Anthony Garotinho, reclamou que o governo federalestaria divulgando a construção do trecho do metrô em Copacabana e as obras dedespoluição da Baía de Guanabara dentro das propagandas do Avança Brasil. Garotinhodisse que as obras do metrô estão sendo feitas exclusivamente com um financiamentocontraído junto ao BNDES. Durante o briefing, o porta-voz da Presidência, ministro Georges Lamaziére, afirmouque as obras de despoluição da Baía de Guanabara não constam das propagandas doAvança Brasil. Quanto ao metrô, o presidente Fernando Henrique declarou, através deseu porta-voz, que, além dos R$ 240 milhões de empréstimo do BNDES, o orçamentoda União para 2002 reservou R$ 42 milhões para as obras do metrô em Copacabana,dos quais R$ 16 milhões já foram liberados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.