Satiagraha: PF investiga ex-executivo de empreiteira

A Operação Satiagraha voltou à cena na manhã de ontem: agentes da Polícia Federal, munidos de ordem judicial, realizaram batidas em quatro endereços em São Paulo, atrás de novos indícios contra empresários e executivos supostamente envolvidos com Daniel Dantas, do Grupo Opportunity, em esquema de lavagem de dinheiro e remessa ilegal de recursos para o exterior (evasão de divisas). Roberto Amaral, empresário que integrou durante décadas a cúpula da Construtora Andrade Gutierrez, é um dos alvos da nova fase da Satiagraha. Os federais apreenderam na residência de Amaral o HD de seu computador pessoal e documentos.?As buscas foram necessárias para coletar elementos importantes para a investigação?, declarou o procurador Rodrigo de Grandis, acusador da Satiagraha. ?Existem indícios de que essas pessoas (alvos das buscas) possam ter contribuído para lavagem de dinheiro.? Rodrigo de Grandis destacou ainda que há suspeitas de que os investigados tenham participado de operações para evasão de divisas. A PF também foi à casa do consultor e empresário Homero Amaral, filho de Roberto, e do gerente de uma instituição financeira suíça - este, suspeito de montar a engenharia financeira para remessas ilegais de valores. As buscas foram efetuadas por determinação do juiz Fausto Martin De Sanctis, da 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, que condenou Dantas a 10 anos de prisão por corrupção ativa. É a segunda investida da Satiagraha em dezembro. No dia 4, a PF vasculhou outros quatro endereços. O juiz De Sanctis acolheu manifestação do procurador Rodrigo de Grandis.O advogado criminalista José Luís de Oliveira Lima, defensor de Roberto Amaral, acompanhou as buscas na casa de seu cliente. ?Houve apreensão, mas não há um único documento que possa comprometê-lo em qualquer ato ilícito?, destacou Oliveira Lima. ?Roberto Amaral nada deve à Justiça e está à disposição para prestar qualquer esclarecimento.? O criminalista afirmou que o empresário ?não tem nenhuma relação com operações de compra de debêntures (títulos com patrimônio da empresa como garantia)?. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.