Sarney reage com ironia a manifesto de adversários

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), reagiu com ironia ao manifesto lido em plenário pelo senador Cristovam Buarque (PDT-DF), no qual um grupo suprapartidário de senadores pede a licença do peemedebista do comando do parlamento. Ao terminar de ler a nota, Cristovam concluiu dizendo que a "paz" não chegará ao Senado porque Sarney é ajudado por pessoas "que não querem a paz, querem massacrar, destruir, e eles não pensam na história, eles pensam apenas na política". Ao fim do discurso do pedetista, José Sarney respondeu: "Muito obrigado a Vossa Excelência pela sua isenção e pelo zelo que tem com a minha biografia". José Sarney deixou o plenário logo depois e se dirigiu ao gabinete da presidência.

CAROL PIRES, Agencia Estado

06 de agosto de 2009 | 19h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.