Sarney pede licença para se recuperar de cirurgia

Enquanto o presidente do Senado se recupera de problemas cardíacos, caberá à primeira-vice-presidente do Congresso dar sequência à instalação da CPI do Cachoeira

Rosa Costa e Ricardo Brito, da Agência Estado

17 de abril de 2012 | 20h36

BRASÍLIA - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), pediu licença, nesta terça-feira, 17, para se recuperar da cirurgia a que se submeteu no último domingo. Ele ficará fora do Senado nos próximos 15 dias. Na ausência de Sarney, caberá à primeira-vice-presidente do Congresso, a deputada Rose de Freitas (PMDB-ES) convocar uma sessão conjunta de deputados e senadores para instalar a CPI mista destinada a investigar o envolvimento do contraventor Carlinhos Cachoeira com políticos e agentes públicos.

Desde o início das discussões sobre a criação da CPI, Sarney se manifestou contrariamente à investigação, alegando ser impossível prever até onde vai a ligação de Cachoeira com políticos do governo. Aliados e oposicionistas devem entregar ainda hoje o requerimento para criar a comissão com o as assinaturas necessárias. É preciso o apoio de pelo menos 171 deputados e de 27 senadores.

De acordo com a assessoria da presidência do Senado, o senador continuará internado no Hospital Sírio-Libanês até a próxima semana, quando passará a ficar em repouso em casa. Sarney começou a passar mal na madrugada da sexta-feira e no sábado viajou para São Paulo, onde foi submetido a uma cirurgia de emergência para desobstrução de uma artéria e colocação de um stent.

Os boletins do Sírio-Libanês informam que seu estado de saúde é bom. Na segunda-feira, ele recebeu a visita do ex-presidente Lula e de outros políticos. O senador fará 82 anos no próximo dia 24.

Tudo o que sabemos sobre:
Sarneyinternaçãocpi do cachoeira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.