Sarney nega pedido do PSDB de vaga extra na CPI

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), informou nesta tarde que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), negou hoje por escrito o pedido do partido para ter mais uma vaga de titular na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar a Petrobras. Desse modo, a oposição continuará com três vagas de titulares e o governo com oito. O PSDB vinha argumentando que o critério para se definir a proporção de integrantes da CPI deveria ser o tamanho das bancadas à época da diplomação, em 2006, e não o atual.

LEONARDO GOY, Agencia Estado

21 de maio de 2009 | 17h20

Sarney já havia respondido ontem no plenário que o regimento prevê que para comissões não permanentes, como uma CPI, o critério deve ser o da atual situação das bancadas. Virgílio, porém, encaminhou um ofício por escrito, que foi respondido agora por Sarney. "Isso vai nos levar a um debate. Vou pedir um parecer da Comissão de Constituição e Justiça", disse Virgílio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.