Sarney nega envolvimento em denúncias de irregularidades

Presidente do Senado reafirma que não tem responsabilidade administrativa pela fundação que leva seu nome

Carol Pires, da Agência Estado,

18 de janeiro de 2010 | 14h58

O Presidente do Senado, José Sarney, espera que a diretoria da Fundação que leva seu nome, dê os esclarecimentos necessários sobre as irregularidades constatadas pela Controladoria-Geral da União (CGU) , que confirmam denúncias do jornal O Estado de S.Paulo, feitas em 9 de julho do ano passado. De acordo com matéria publicada nesta segunda-feira, 18, no Estado, a CGU constatou na Fundação José Sarney uma série de fraudes na execução de um projeto de R$ 1,3 milhão, patrocinado pela Petrobrás. Entre as irregularidades, o uso de notas frias, empresas fantasmas e contratações irregulares. Em nota divulgada há pouco, José Sarney reafirma que não tem responsabilidade administrativa pela fundação, e que ele foi apenas o idealizador da entidade "na intenção de preservar a memória nacional".

 

Em julho, quando o Estado revelou o desvio de recursos da Petrobrás pela Fundação José Sarney, o senador usou o mesmo argumento de que não deveria ser responsabilizado, porque não participa da administração da entidade. Na época foram movidas ações contra ele, no Conselho de Ética do Senado, mas os processos foram arquivados sem investigação.

 

Leia a íntegra da nota:

 

"O senador José Sarney, instituidor da Fundação que leva seu nome e que pertence ao povo brasileiro, doou a ela um acervo pessoal de 50 mil livros, sendo algumas raridades, manuscritos de grandes autores nacionais e estrangeiros, 400 mil documentos históricos, arquivo audiovisual de 1.500 horas, cerca de 4 mil objetos de arte e os presentes que recebeu quando presidente da República, na intenção de preservar a memória nacional. Nunca teve participação na administração da Fundação, sendo apenas seu presidente de honra. O senador espera que a diretoria da instituição dê os esclarecimentos necessários sobre o projeto de patrocínio em foco, e, caso seja procedente qualquer acusação, que os responsáveis sejam punidos na forma da lei."

Tudo o que sabemos sobre:
Sarneyfundaçãoculturapetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.