Ed Ferreira/AE
Ed Ferreira/AE

Sarney não descarta existência de 'fantasmas' no Senado

De acordo com senador, 'quem for funcionário nomeado e que não trabalhe, será imediatamente demitido'

Agência Senado,

22 Outubro 2009 | 15h19

O presidente do Senado, José Sarney, afirmou, na manhã desta quinta-feira (22), que, se houver funcionário-fantasma na Casa, providências serão tomadas para que este deixe de receber salário e seja afastado. Sarney foi questionado por jornalistas sobre a informação de que 828 funcionários do Senado não responderam ao recadastramento de pessoal promovido pela administração da instituição.

 

"Parece que não são 828 os servidores que não responderam ao recadastramento. Alguns erraram no computador na hora de confirmar o envio de informações. Mas os que não tenham respondido ao questionário, nós mandaremos cortar os vencimentos até que eles possam ser recadastrados, a partir deste mês."

 

Indagado se acreditava na possibilidade de existência de 'funcionários- fantasmas', o presidente do Senado reforçou seu posicionamento no sentido de eliminar qualquer irregularidade na gestão da Casa.

 

Veja Também

linkSenador pede suspensão de salário de 828 servidores

 

"Se existirem, nós vamos demiti-los... Quem for funcionário nomeado e que não trabalhe, será imediatamente demitido", disse ainda Sarney.

 

Vice-presidente do Senado, o senador Marconi Perillo (PSDB-GO) enviou, na última quarta-feira (21), ofício à diretora de Recursos Humanos do Senado, Dóris Romariz, pedindo a abertura de processo administrativo e suspensão dos salários dos 828 servidores que não responderam ao recadastramento de pessoal.

 

No requerimento, Perillo se diz preocupado com "possíveis irregularidades apontadas pela imprensa de que existiriam funcionários-fantasmas ou funcionários falecidos que ainda estariam recebendo vencimentos".

 

No dia 27 de agosto, os 6.277 funcionários do Senado foram intimados a preencher um formulário de recadastramento via internet. Após o término do prazo dado para o recadastramento, que foi ampliado até o dia 27 último, a direção da Casa verificou que 828 servidores não enviaram o questionário respondido.

Mais conteúdo sobre:
SarneySenadofuncionários

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.