Sarney faz hoje ''apelo pragmático''

Um discurso de cerca de meia hora com respostas a todas as 11 denúncias protocoladas no Conselho de Ética. Na abertura do pronunciamento, um pequeno histórico da vida política e, por fim, um "apelo humildemente pragmático" para que o Senado volte a ter serenidade para discutir política e aprovar as matérias que estão na fila de votação. Em resumo, essa é a linha do discurso que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) faz hoje no plenário da Casa. Explicações e justificativas à parte, o objetivo político do senador é desarmar a oposição e os dissidentes da base aliada. "Como ele vai fazer o apelo à serenidade, é aceitável que os líderes do PMDB também desistam da ideia de processar no Conselho de Ética o líder dos tucanos, Arthur Virgílio (AM)", concluiu ao Estado um assessor especial de Sarney que ajudou a preparar o discurso.Em busca de uma agenda positiva, o presidente do Senado suspendeu ontem o pagamento de indenização ou auxílios de servidores nomeados por atos sigilosos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.