Sarney é presidente da República até domingo

Com ausência de Dilma Rousseff, Michel Temer e Marco Maia, presidente do Senado assume cargo após 22 anos

Débora Bergamasco, O Estado de S. Paulo

12 de dezembro de 2012 | 19h16

BRASÍLIA - Vinte e dois anos depois de deixar a Presidência da República, o senador José Sarney (PMDB-AP) assume na próxima quinta-feira, 12, interinamente, o mais alto cargo do Poder Executivo. A honraria que termina já no domingo foi proporcionada pela somatória de viagens da titular Dilma Rousseff para França e Rússia, do vice Michel Temer a Portugal e do presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), ao Panamá.

Esta é a primeira vez que Sarney volta a ser presidente do Brasil e planeja uma "gestão" discreta: não pretende receber visitas oficiais, nem despachar. Um de seus braços direito tentou justificar a conduta pelo senador escolhida: "O Sarney é um 'lord'".

Na manhã da quinta, era previsto que ele recebesse à porta de sua casa o comboio presidencial, com seguranças e batedores formados por homens e mulheres. À bordo do carro oficial, deve ser escoltado direto para a garagem do Palácio do Planalto, onde subirá ao gabinete da Presidência pelo elevador privativo, passando longe da rampa por onde desceu em 1990, quando passou sua faixa verde-e-amarela para o ex-presidente e hoje senador Fernando Collor (PTB-AL).

De acordo com a Presidência da República, não haverá solenidade para a troca de comando do País. No fim da tarde desta quarta, Sarney e Maia foram à Base Aérea do Distrito Federal para se despedirem de Temer, o presidente em exercício.

Aos 82 anos, é a segunda vez que Sarney assume interinamente o comando do Brasil. A primeira foi em 1985, na posição de vice-presidente, substituindo o então eleito Tancredo Neves, que se recuperava de uma operação de última hora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.