Sarney diz que respeitará decisão das lideranças sobre CPI

O presidente do Senado, José Sarney, deixou claro hoje que não pretende atropelar a decisão dos líderes aliados de não indicar os integrantes da CPI dos Bingos. Segundo Sarney, o regimento do Senado estabelece que as comissões são compostas por indicação das lideranças e que ele vai cumprir essa determinação do artigo 66 do regimento. "O Senado é composto de partidos e esses partidos se expressam através dos líderes?, disse Sarney. ?Todas as nossas decisões são colegiadas e o regimento diz isso. Eu cumprirei o regimento da Casa, sempre cumpri e como tenho dito, eu já não tenho tempo. E na minha biografia eu tenho que respeitar, como sempre fiz, defender a Casa e o regimento. Porque ele (o regimento) é justamente o instrumento que assegura as minorias e o bom funcionamento da Casa", afirmou. Sobre as consequências políticas da decisão de não indicar os integrantes da CPI, o que inviabiliza a sua instalação, Sarney preferiu deixar essa avaliação para os líderes. "Esta é uma avaliação a ser feita pelos próprios líderes da Casa. Em todos os assuntos em que há divergências, sempre costumamos ouvir as lideranças, de maneira que são elas que se manifestam", disse.Indagado sobre um parecer técnico apresentado pelo senador Pedro Simon (PMDB-RS), que o obriga a fazer as investigações, com base no regimento comum do Congresso, Sarney disse que não é essa a interpretação. "Eu estou nesta Casa há muitos anos e nunca vi um presidente se sobrepor às lideranças dos partidos, atropelando-as, e indicando, em nome delas, qualquer pessoa para as devidas comissões", disse. "Quando se fala em comissões não é só comissões de inquérito, mas todas as comissões da Casa". Diante da insistência dos jornalistas sobre a possibilidade de a CPI ser engavetada, Sarney afirmou: "Eu não sei. A CPI está sendo constituída agora. A minha função é ler e ela será constituída. Isso aí (engavetamento da proposta) depende das lideranças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.