Sarney diz não poder indicar integrantes da CPI

Apesar das pressões de setores da oposição, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), reafirmou não ter "competência regimental" para indicar integrantes da CPI dos Bingos, alegando que qualquer ação desse tipo significaria uma atitude "acima dos partidos". Ontem, até um senador da base de apoio do governo, Geraldo Mesquita (PSB-AC), pediu a Sarney, em discurso da tribuna do Senado, que o indicasse para integrar a CPI dos Bingos. Mesquita se comprometeu, até, a se desfiliar do PSB para não causar embaraços ao partido. "O regimento é muito claro", reagiu Sarney, acrescentando que, para dar ao presidente do Senado a prerrogativa de indicar membros de comissões, em lugar dos líderes partidários, seria necessária uma reforma do regimento. "Enquanto o regimento estiver da forma como está, eu não posso fazer as indicações", afirmou Sarney. Segundo ele, há muitas questões regimentais para serem esclarecidas como, por exemplo, o prazo para a indicação, se ele tivesse a prerrogativa de indicar. "Só se pode fazer, em direito, aquilo que a lei autoriza", observou. "Então, eu não posso fazer isso". O líder do PDT, senador Jefferson Peres (AM), anunciou que, também ele, fará discurso, à tarde, pedindo a Sarney que faça as indicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.