Sarney diz a Lula que Mercadante "atrapalha" e "desestabiliza"

Durante a reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para discutir o salário mínimo, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), manifestou sua insatisfação com o líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP). Sarney fez queixas da atuação de Mercadante no Senado considerando que o líder "atrapalha" e "desestabiliza" a Casa.O encontro foi organizado pelo presidente Lula, preocupado com os efeitos políticos que a discussão da proposta de emenda constitucional da reeleição pudesse ter sobre sua base de apoio no Congresso. Lula reafirmou o apoio à reeleição de Sarney e de João Paulo para as presidências do Senado e da Câmara, mas acabou ouvindo as queixas dos dois políticos sobre outros problemas que estariam prejudicando o andamento dos trabalhos do Congresso.Medida ProvisóriaOutra queixa apresentada por Sarney e João Paulo foi o excesso de medidas provisórias editadas pelo governo. No encontro, segundo fonte, Lula reconheceu o excesso de MPs apresentadas. João Paulo e Sarney disseram ao presidente que a quantidade de MPs está atrapalhando os trabalhos das duas Casas. A Câmara, por exemplo, desde o dia 1º de abril, tem votado apenas medidas provisórias. Atualmente há oito MPs trancando a pauta de votações. Como as MPs, depois de 45 dias de editadas, têm preferência na ordem de votação, os presidentes da Câmara e Senado reclamam que não podem estabelecer uma pauta própria do Legislativo. Lula disse que vai reduzir o número de MPs. Prometeu também aos dois presidentes do Legislativo que vai assinar medidas provisórias apenas no que for essencial. Na semana passada, João Paulo e Sarney fizeram essas queixas publicamente, reclamando do comportamento do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.