Sarney discursa sobre Getúlio Vargas e Euclides da Cunha

Presidente do Senado homenageia em plenário ex-presidente, que se suicidou há 55 anos

Carol Pires, AE

24 de agosto de 2009 | 16h25

Arquivadas as ações contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), ele fez nesta segunda-feira, 24, um discurso em memória do ex-presidente Getúlio Vargas, que morreu há 55 anos, e também em homenagem ao escritor Euclides da Cunha.

 

Como reação à não abertura de processo contra Sarney, os senadores da oposição se reúnem nesta terça-feira, 25, para discutir se permanecem no Conselho de Ética ou renunciam às suas vagas no colegiado. Cinco das quinze cadeiras do conselho são ocupadas pelos oposicionistas. Líder do DEM, o senador José Agripino (RN) chega a Brasília no início da noite desta segunda-feira, 24, e reúne a bancada no dia seguinte, em um almoço, para discutir se desistem ou não das três vagas a que tem direito no colegiado.

 

O PSDB vive o mesmo dilema. Na semana passada, o senador Sérgio Guerra (PE), presidente do partido, enviou ofício à Mesa Diretora pedindo para ser retirado da composição do conselho. A senadora Marisa Serrano (PSDB-MS) também está com um ofício pronto para renunciar à cadeira. Ela só tomará uma decisão, entretanto, após reunião da bancada, na terça-feira, 25,, na hora do almoço, no gabinete do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Sérgio Guerra e o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), só chegarão a Brasília no início de noite desta segunda-feira.

 

Já o líder do PT, Aloizio Mercadante(PT-SP) - que, depois de ter anunciado sua renúncia ao cargo em caráter irrevogável, voltou atrás e anunciou a permanência no cargo a pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, está em São Paulo e passará o dia sem compromissos oficiais. O senador deve chegar a Brasília apenas na terça-feira, 25.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.