Sarney deve ter alta em dois dias

O ex-presidente e senador José Sarney (PMDB-AP), submetido hoje a uma cirurgia para a retirada da vesícula biliar, no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, poderá ter alta até segunda-feira, informou o médico particular de Sarney e chefe da equipe que realizou a operação, Raul Cutait. Segundo ele, a intervenção foi bem-sucedida. O médico disse que não serão divulgados boletins por ordem do paciente. A operação, que começou às 13 horas, durou cerca de duas horas. Cutait afirmou que foram feitos quatro furos no abdome do senador - que recebeu anestesia geral - para a colocação de microcâmera com o objetivo de orientar a manipulação dos instrumento pelos médicos. Segundo a governadora do Maranhão e filha do senador, Roseana Sarney (PFL), que acompanhou a cirurgia em companhia da mãe, Marli Sarney, não houve problema durante a operação. Ao deixar o hospital, ela disse que "ocorreu tudo bem e ele já está na sala de recuperação". O ex-presidente também recebeu a visita do senador Romeu Tuma (PFL-SP). Sarney vinha sentindo dores abdominais havia alguns dias. Na quarta-feira, foi ao hospital Sara Kubitschek, em Brasília, onde se submeteu a exames. Nada que indicasse uma doença séria foi constatado. Na sexta-feira, o senador viajou para São Paulo acompanhando de Marli, que estava com exames marcados no Sírio Libanês para uma cirurgia nos ligamentos da clavícula direita, afetados depois de uma queda. Durante a noite, Sarney sentiu fortes dores. Levado ao Sírio Libanês, os exames indicaram a necessidade de Sarney ser operado para a retirada da vesícula. A cirurgia foi marcada após os médicos constatarem que o ex-presidente estava com inflamação causada pelos cálculos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.