Sarney descarta dar nome da mãe a aeroporto de São Luís

Acostumado a receber os mais variados tipos de homenagem, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), se surpreendeu com a surpresa preparada pelo correligionário Walmir Amaral (PMDB-DF) e tratou de brecá-la o quanto antes. Sarney pediu ao colega que desistisse do projeto de lei que daria o nome de sua mãe, dona Kyola, morta em janeiro último, ao aeroporto de São Luís.Pela proposta, que estava pronta para ser votada na Comissão de Educação (CE), o aeroporto passaria a se chamar "Aeroporto de São Luís ? Dona Kyola Sarney". Informado da novidade por um assessor, o presidente do Senado agradeceu a homenagem, mas mostrou ao colega que a forte ligação que sempre manteve com a mãe não era motivo para homenageá-la publicamente.Suplente do então senador Luiz Estevão (PMDB-DF), Walmir Amaral chegou ao Senado em 1999, quando o titular foi cassado por ter mentido na CPI do Judiciário, que investigou o desviou de R$ 169 milhões do fórum trabalhista de São Paulo. Sua passagem pelo cargo tem sido inexpressiva, apesar de ter apresentado mais 30 projetos de lei. Um deles, proibindo o uso de catracas eletrônicas nos ônibus, favorece diretamente à sua atividade como empresário na área de transporte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.