Sarney defende participação de Lula na campanha de Marta

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), defendeu hoje o presidente Luiz Inácio Lula da Silva da acusação de prática de suposto crime eleitoral por pedir votos para a reeleição da prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), durante inauguração de obra pública na capital paulista, no sábado "O presidente Lula tem absoluta liberdade para comparecer às inaugurações em São Paulo. O governador Geraldo Alckmin (São Paulo) também está fazendo a mesma coisa pelo seu candidato", afirmou Sarney.O mesmo argumento em defesa de Lula foi usado pelo presidente do PT, José Genoino, que ainda reforçou o fato de o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ter participado de campanhas municipais quando ocupava a Presidência da República. "Isso é gritaria do PSDB, porque está vendo que a Marta está crescendo no eleitorado", disse Genoino. O petista ressaltou que São Paulo é o Estado do presidente e que o próprio PSDB, que está reclamando, queria federalizar a campanha. "Estão reclamando por que? Eles queriam federalizar", afirmou.O presidente do PT atribuiu ao "clima quente da disputa eleitoral" o fato de o PSDB, partido do principal adversário de Marta, José Serra,ameaçar pedir a cassação da candidatura da prefeita e afirmou não haver motivo para isso. "A Marta não estava no evento", afirmou Genoino. O pedido de cassação do PSDB à Justiça Eleitoral tem como base a declaração de apoio de Lula durante a inauguração do prolongamento da Radial Leste, no sábado.Genoino negou ainda que Lula esteja exercendo o papel de cabo eleitoral nas campanhas municipais. "Ele participa de atos político-administrativos de obras do governo dele. Inevitável que exista uma relação entre o PT, o Lula e os candidatos. Essa relação é indissolúvel", afirmou o dirigente petista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.