Sarney defende internet sem limitações

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), defendeu ontem a liberdade na internet em 2010. "É uma tecnologia que veio para ficar e é impossível estabelecer qualquer controle. A concepção de rede significa que não tem um centro gerador. Cada um vai agregando, a rede vai se expandindo e não temos como controlá-la", afirmou. "Eu acho que nem se deve estabelecer normas nesse sentido porque, na realidade, são normas que não vão ter nenhuma condição de fiscalização."

Leandro cólon, O Estadao de S.Paulo

11 de setembro de 2009 | 00h00

Em 2006, Sarney processou o blog da jornalista Alcinéia Cavalcante, no Amapá. A ação foi assinada pelo advogado Fernando Aquino, funcionário do Senado.

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá acolheu o pedido e impôs multa de R$ 21 mil, derrubada depois no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.