Sarney defende CPI do Banestado contra suspeita de vazamento

O presidente do Senado, José Sarney (PMDBAP), afirmou que o corregedor-geral da Casa, senador Romeu Tuma (PFL-SP), recebeu a informação de que foram entregues por autoridades dos Estados Unidos não apenas ao Congresso brasileiro os documentos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Banestado cujo conteúdo vazou e foi publicado pela imprensa. Segundo Sarney, Tuma soube que os EUA entregaram os documentos também a representantes de outras instâncias de poder no Brasil. "O senador Tuma tem informações precisas de que os documentos não foram entregues somente ao Congresso, mas também a algumas autoridades de outros Poderes", disse Sarney, em entrevista ao chegar ao Congresso. Ele informou ainda que as mesas-diretoras da Câmara e do Senado deverão se reunir em outubro, entre o primeiro e o segundo turnos das eleições municipais, para analisar a denúncia de vazamento. "Esta semana não teremos condição de nos reunir, porque quase todos os parlamentares estão envolvidos nas campanhas (eleitorais)", comentou Sarney.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.