Sarney defende ação diplomática em relação à Colômbia

O senador e ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP) defendeu hoje, em discurso no plenário do Senado, uma ação diplomática do governo brasileiro para evitar que os conflitos envolvendo Colômbia, Venezuela e Equador se generalizem para o resto da América do Sul. "O Brasil não pode lavar as mãos. Deve fazer o possível para solucionar o problema", afirmou Sarney. E continuou: "a solução é de não intervenção, mas uma solução pacífica". Ele mostrou que a Constituição brasileira, em seu artigo 4º, prega a não intervenção em outros países e a solução pacífica. "O uso da força não leva a bons resultados", comentou.Sarney, que nos últimos dois anos tem ocupado a tribuna para alertar sobre os riscos do militarismo do presidente venezuelano, Hugo Chávez, listou vários tipos de armas adquiridas pela Venezuela nos últimos anos, envolvendo um gasto de US$ 7 bilhões. "Segundo a tradição brasileira, nós não admitimos no continente uma solução de apelo à força. A solução é de responsabilidade do continente sul-americano".O líder do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), disse que o Brasil não pode tomar posição em favor do Equador e Venezuela, mas sim em relação à Colômbia. Já o líder do DEM, José Agripino (RN), pediu uma imediata convocação da OEA para intermediar uma negociação. Para Sarney, essa é a melhor solução a ser buscada pelos países do continente sul-americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.