Sarney assina convênio com FGV para reestruturar o Senado

Fundação fará auditoria administrativa na Casa; parlamentar pediu que diretores colocassem cargos à disposição

Eugênia Lopes, Agência Estado

18 de março de 2009 | 12h39

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), assinou na tarde desta quarta-feira, 18, convênio com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) para fazer uma reestruturação administrativa da Casa. Sarney disse que antes dessa reforma, que só deverá ser concluída daqui a seis meses, pretende cortar pela metade os 136 cargos de diretores no Senado.

 

Na noite de quarta, Sarney pediu que os diretores colocassem os cargos à disposição. "Todos saem e vamos avaliar pelo critério do mérito quem deve ficar", afirmou. A Fundação Getúlio Vargas vai propor uma reestruturação e fará uma auditoria administrativa da Casa. Ao assinar o convênio com a Fundação, Sarney disse que "o Senado precisa sair fora dessa discussão menor", em uma referência às denúncias de irregularidades.

 

Ao ser questionado sobre as denúncias de que a filha do senador Tião Viana (PT-AC) teria emprestado celular do Senado para a filha usar na viagem ao México, Sarney se recusou a responder. Disse que não ia responder sobre casos específicos e que assuntos administrativos são de responsabilidade do primeiro-secretário, Heráclio Fortes (DEM-PI).

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoFGVreestruturaçãoJosé Sarney

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.