Sarney anula 663 atos secretos do Senado

O presidente do Senado, Jose Sarney (PMDB-AL), anunciou hoje a anulação dos 663 atos administrativos identificados pela Comissão de Sindicância Interna, criada para detectar boletins editados secretamente. A decisão consta de ato divulgado pela presidência do Senado. Sarney determinou ainda que a diretoria-geral da Casa adote providências no prazo máximo de 30 dias para cumprir a anulação desses atos sigilosos e "o integral ressarcimento" aos cofres públicos do que foi pago indevidamente.

LEANDRO COLON, Agencia Estado

13 de julho de 2009 | 13h28

A decisão de Sarney obedece recomendação do Ministério Público Federal (MPF) para que esses atos sejam anulados. A revelação dos atos secretos, com criação de cargos, nomeações e aumentos salariais, foi feita pelo jornal O Estado de S. Paulo e completou um mês na sexta-feira. Essa denúncia, e outras que foram publicadas posteriormente pela imprensa, levaram a uma crise no Senado e a uma pressão de partidos para que o peemedebista deixasse o cargo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.