Sarney afirma que Senado vota o mínimo na quinta-feira

O presidente do Senado, José Sarney, confirmou hoje a votação da Medida Provisória do saláriomínimo para quinta-feira. Ele disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva "está certo em defender a aprovação da medidaprovisória". "Ele é um líder sindical e tem sensibilidade social e acho que se ele pudesse dar um salário maior nesse momento,ele apresentaria. Mas naturalmente ele está pesando o problema das contas públicas", disse Sarney. Apesar da declaraçãofavorável à MP, Sarney disse que não está trabalhando em busca de votos. Segundo ele, este é um trabalho das liderançaspartidárias. "Mas não me exime de dar meu ponto de vista", ponderou.Ele evitou polemizar com a senadora Roseana Sarney, sua filha,em torno do salário mínimo. Ela defendeu, em entrevista que concedeu em São Luiz, no Maranhão, ummínimo de R$ 300,00 enquanto Sarney declarou-se favorável aos R$ 260,00. "Roseana é líder e sempre caminhou com seuspróprios pés. Nunca impus nada aos meus filhos, tanto que o meu filho, Sarney Filho, votou a favor das diretas", disse Sarney,referindo à emenda das Diretas , votadas em 1984, quando ele presidente do então PDS, que foi extinto. "Não sou de impor minhaposição a ninguém", afirmou. A senadora Roseana está fora de Brasília há algumas semanas e hoje não compareceu à sessão doSenado. A expectativa é de que ela compareça na sessão de quinta para votar o novo valor do mínimo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.