Sarkozy quer mais proteção a fronteiras e produção europeia

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, falou de uma melhor proteção às empresas europeias e às fronteiras em um discurso de campanha no domingo para a reeleição, afirmando que gostaria de renegociar a livre circulação do Acordo de Schengen e pressionar por um "Ato Compre (produto) Europeu".

REUTERS

11 de março de 2012 | 12h10

Sarkozy, que está atrás do socialista François Hollande nas pesquisas de opinião para as eleições de abril-maio, afirmou que um sistema de sanções é necessário para controlar a imigração na Europa e que a França poderia suspender sua participação na zona Schengen, se não houver progresso.

Ele disse ser necessária uma legislação ao estilo "Buy American Act" ("compre (produtos) norte-americanos") para exigir que os governos favoreçam produção europeia em suas compras. Ele afirmou que se não houver avanços nesta questão, a França vai aplicar suas regras unilateralmente.

"Eu quero uma Europa que proteja seus cidadãos. Eu não quero mais essa concorrência selvagem", disse Sarkozy em um discurso que deve atingir eleitores de extrema direita cujo apoio ele precisa para vencer a reeleição.

"Eu digo não a uma Europa que abre seus mercados enquanto outros não o fazem. Tal comportamento não significa aceitar o livre comércio, significa aceitar ser uma Europa que é uma peneira", disse Sarkozy.

(Reportagem de Lionel Laurent)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAFRANCASARKOZY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.