Sarkozy pede para imprensa sair da praia na Bahia

Segundo policiais federais, Sarkozy teria pedido a Lula que isolasse a área, para não ser importunado

JOTABÊ MEDEIROS, Agencia Estado

24 de dezembro de 2008 | 13h52

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, tomou café às 9h30 da manhã em uma sala reservada do Txai Resort, na Praia de Itacarezinho, em Itacaré, no Sul da Bahia. Ele desembarcou na região na noite de terça-feira e rumou para o local, onde era aguardado pelo pai de sua mulher Carla Bruni, o empresário italiano Maurizio Remmert, que o convidou para um descanso no local. Remmert é dono de uma indústria de alimentos na Itália e vive 6 meses por ano no Brasil.   Veja também: Galeria de fotos da primeira-dama francesa    Nesta manhã, contudo, Sarkozy aparentou ter acordado de mau humor e, ao tomar conhecimento de que alguns repórteres estavam na praia, aguardando que ele fosse fazer o seu primeiro passeio, ele teria ligado para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, reclamando. Segundo policiais federais, Sarkozy teria pedido a Lula que isolasse a área, para não ser importunado pela imprensa. Uma fonte próxima disse que o francês ameaçou não sair de seu bangalô, e até mesmo de ir embora do País, se continuasse o que ele chama de "perseguição". Segundo hóspedes da pousada, o presidente Sarkozy teme críticas por estar desfrutando férias num lugar paradisíaco enquanto seu país vive um início de recessão."Está fechado até o dia 5", avisavam na véspera da chegada de Sarkozy os seguranças na portaria do Txai Resort. Mais do que fechado, o hotel está cercado. Uma corveta da Marinha, a Guaratuba, patrulha as águas ostensivamente e dela saem lanchas velozes que não deixam os pescadores se aproximarem. Seguranças cercam toda a propriedade, uma espécie de condomínio muito reservado que abriga hóspedes eventuais e casas de celebridades, como o vocalista do grupo Asa de Águia, Durval Lelis. Um agente de segurança francês chutou a mochila de um repórter.

Tudo o que sabemos sobre:
diplomaciaNicolas SarkozyItacaré

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.