Sargentos são absolvidos no caso Eldorado dos Carajás

Os nove sargentos da Polícia Militar do Pará acusados de co-autoria das mortes de 19 trabalhadores rurais sem-terra em Eldorado dos Carajás foram absolvidos por maioria de votos na madrugada de hoje. O juiz Roberto Moura começou a ler a sentença às 1h45. Os jurados aceitaram a tese do advogado Luis Abdoral Lopes de negativa de co-autoria de homicídio. O promotor Marco Aurélio do Nascimento anunciou que até sexta-feira estará ingressando no Tribunal de Justiça com recurso contra a absolvição. "O Ministério Público não conseguiu provar que eles atiraram contra os sem terra. Eu desmontei a acusação deles", comemorou Lopes. Os militares absolvidos foram os sargentos Getúlio Marques, Januário de Jesus Souza Trindade, João Carivaldo de Souza, José Antônio Garcia Caldas, Ademar Pinheiro, Antônio Carlos Gomes, Antônio Reis dos Santos, Carlos Alberto Alves dos Santos e Everaldo Lins Gondim. Eles se abraçaram chorando ao ouvir o juiz proferir a sentença. Os líderes do MST no Pará não quiseram comentar a decisão dos sete jurados - quatro homens e três mulheres. Eles disseram que só irão falar depois que a última sessão do júri for realizada. No próximo dia 4 serão julgados três tenentes e três sargentos que deveriam ter sentado ontem no banco dos réus. No dia 10 de junho será a vez de 129 soldados e cabos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.