Saques e arrastões deixam Salvador em pânico

Uma onda de arrastões e saques hoje à tarde aumentou o pânico na capital baiana, fazendo com comércio, bancos e até postos de gasolina fechassem. As escolas das redes privada e particular suspenderam as aulas por volta das 15 horas, o que levou milhares de pais para frente das escolas para pegar os filhos. A insegurança também levou o Sindicato dos Rodoviários a paralisar o sistema de transportes coletivos as 16h30.O presidente da entidade, Jota Carlos e diretores do sindicato foram para a Estação da Lapa, a maior da cidade, orientar os motorista a dar a última viagem para deixar os passageiros em casa e recolher os veículos as garagens das empresas. "O número de assaltos a ônibus aumentou 200% com a greve dos policiais militares e desta forma os ônibus não tem segurança para circular", disse. A "fuga" das pessoas provocou engarrafamentos nas principais vias de Salvador e deixou os pontos de ônibus lotados.Ocorreram tentativas de saques nos shoppings Iguatemi e Barra, os maiores da cidade, no supermercado Bom Preço do Bairro do Rio Vermelho e várias lojas comerciais do centro de Salvador. O centro comercial do Pituba Parque Center, foi atacado por bandidos que assaltaram quatro lojas. No subúrbio ferroviário de Periperi, moradores denunciaram a realização de vários arrastões.O posto do INSS, em Periperi, sofreu uma tentativa de assalto que resultou em tiroteio e pânico entre as pessoas. Além disso, uma onda de boatos sobre os saques e assaltos, ampliou o pânico na população. Diante da situação, as emissoras de rádio de Salvador passaram a orientar as pessoas, pedindo que todos voltassem para casa e permanecessem trancados até a resolução do problema.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.