Tiago Queiroz / Estadão
Tiago Queiroz / Estadão

São Paulo e Rio registram panelaços contra a demissão de Mandetta

Possibilidade de demissão do ministro da Saúde liderava a lista dos assuntos mais comentados no Twitter

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2020 | 17h43
Atualizado 16 de abril de 2020 | 19h35

No momento em que o presidente Jair Bolsonaro convocou uma reunião ministerial na tarde desta segunda-feira, 6, as cidades de São Paulo e Rio registraram panelaços em ao menos oito bairros.

Em menor intensidade do que os panelaços que costumam ocorrer toda noite, Pompeia teve gritos de ‘Fora, Bolsonaro’ e ‘Fica, Mandetta’. Na Vila Madalena e Consolação, a manifestação foi por volta das 17h, de forma tímida, com gritos de ‘Fora, Bolsonaro’. Também houve protestos pela saída do presidente em Santa Cecília, Barra Funda, Pinheiros, Bela Vista e República. As manifestações voltaram a ocorrer entre 20h e 20h30 da noite.

No Rio, ocorreram panelaços pelo menos em Copacabana, Botafogo, Humaitá, Laranjeiras, Cosme Velho, Jardim Botânico e bairro Peixoto, na zona sul. Os gritos eram de crítica ao presidente e apoio a Mandetta, que acabou ficando no cargo. 

A possibilidade de que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fosse demitido pelo presidente Bolsonaro levou o sobrenome do ministro a liderar a lista dos assuntos mais comentados do Twitter brasileiro nesta segunda-feira.

Às 16h40 de hoje, “Osmar Terra” ocupava o segundo lugar na lista dos principais assuntos da rede social. Na sequência, a hashtag #Urgente, que era usada de maneira associada às publicações que repercutiam a possibilidade de demissão do atual ministro da Saúde.

Mandetta chegou por volta das 17h no Palácio do Planalto para reunião com o presidente Bolsonaro e ministros. Também participam o vice-presidente Hamilton Mourão, e presidentes de bancos públicos. Enquanto isso, técnicos da saúde participam de coletiva de imprensa sobre a situação do coronavírus no País. /COLABOROU FÁBIO GRELLET

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.