São Paulo arrecada 11,2 milhões de agasalhos

A Campanha do Agasalho 2004, promovida pelo Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo (Fussesp), arrecadou um número recorde de peças neste ano ? 11,2 milhões, superando largamente as sete milhões do ano passado. Os agasalhos estão sendo enviados a mais de 1,9 mil entidades sociais cadastradas no Fussesp e aos 645 municípios do estado, onde são entregues a moradores de rua, albergues, idosos e outros grupos. Os cinqüenta municípios paulistas com menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) têm prioridade no recebimento das peças.Apesar do encerramento das doações, os agasalhos continuarão sendo aceitos ao longo do ano. Para saber os locais de doações, basta telefonar para (11) 3874-6738. No Paraná A Campanha do Agasalho 2004 no Paraná já arrecadou, durante seus dois primeiros meses, cerca de 8 toneladas de roupas e, com o dinheiro das doações voluntárias feitas por depósito bancário, comprou 30 mil cobertores. A campanha é organizada pelo Programa do Voluntariado Paranaense (Provopar) e deverá continuar até o dia 31 de julho, mas poderá ser prorrogada se o frio continuar intenso. No ano passado, a campanha do Provopar arrecadou 20 toneladas de roupas.Em Curitiba, os pontos de arrecadação são os supermercados, os shoppings e as universidades, além das sedes de secretarias de Estado e do Provopar. No interior, as doações são nos núcleos de educação e escolas estaduais. Sandra explica que os agasalhos entregues em cada município são doados dentro do próprio município. A distribuição das doações é coordenada pelas escolas estaduais ou serviço social, atendendo as necessidades de cada região. As doações em dinheiro para a Campanha do Agasalho do Paraná podem ser feitas no Banco do Brasil (agência 3793-1, conta 2004-4) e no Banco Itaú (agência 4143, conta 720-3). O dinheiro arrecadado é destinado à compra de cobertores.Em Santa CatarinaOs catarinenses já doaram mais de 997 mil peças, entre abrigos, cobertores e calçados para a Campanha do Agasalho em Santa Catarina. As peças atenderão 20 mil famílias, 230 entidades e 33 Secretarias de Bem-Estar Social do estado catarinense. A campanha deste ano teve um crescimento de 447% em relação a de 2001.Segundo a Secretaria do Desenvolvimento Social estadual, o estado catarinense não possui uma campanha promovida pelo governo há cerca de dez anos. Nesse período, a campanha tradicionalmente tem sido feita pelo grupo de comunicação RBS, que retransmite a TV Globo no estado. A campanha deste ano foi encerrada no dia 25 de junho e superou em 58% os números do ano passado. Em 2003, foram coletadas 641 mil peças e beneficiadas 220 entidades. A arrecadação de 2002 havia atingido 500 mil artigos e a de 2001, 223 mil.O valor total gasto na campanha também cresceu. Ele foi R$ 233.907,00, 72% a mais do que os R$ 136.323,00 previstos no início.No Rio Grande do Sul A Campanha do Agasalho do Rio Grande do Sul alcança os 335 municípios gaúchos e distribui roupas, calçados e alimentos para 166 entidades em Porto Alegre. Até a terça-feira, 19 de julho, ainda não havia sido feito um balanço dos volumes arrecadados desde o lançamento da campanha, que tem o mote Por Um Inverno Mais Quente, em 20 de maio, no Palácio Piratini. No ano passado foram arrecadados mais de um milhão de itens, entre roupas e calçados, 96 toneladas de alimentos e cerca de 24 mil cobertores. As doações foram levadas a necessitados de 320 municípios, dezenas de entidades assistenciais e 15 comunidades indígenas. A Campanha do Agasalho gaúcha é organizada pelo Programa Família Faz Bem, conduzido pela primeira-dama do estado, Cláudia Rigotto. A Campanha gaúcha é descentralizada. Cada município, sob a coordenação da primeira-dama local, realiza sua campanha e lá mesmo os agasalhos e alimentos são distribuídos para a comunidade. Esta iniciativa também vale para as grandes empresas, que depois de arrecadar os donativos entre seus funcionários, fazem a entrega dos produtos para as famílias dos lugares onde atuam. A contagem final da campanha será feita em setembro. As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.