Santoro usou criminoso para justificar ataque político, diz Genoino

O presidente do PT, José Genoino, disse que a fita contendo o diálogo entre o subprocurador-geral da República José Roberto Santoro e o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, mostra que "o objetivo não era uma investigação, mas sim uma armação política". Segundo Genoino, o subprocurador usou um criminoso para justificar um ataque político ao governo, referindo-se ao teor do diálogo contido na fita. O presidente do PT disse, ainda, que isso demonstra que o pedido de criação de uma CPI, apresentado pelo senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), "já nasceu sem legitimidade". "Se o Senado, a partir de uma armação política, fizer uma CPI, está sendo instrumento para legalizar uma operação feita de maneira ilegal", afirmou. Segundo ele, a CPI seria a continuidade de uma armação política de uma operação que nasceu na sala de Santoro. Genoino observou que a fita não alivia em nada as denúncias contra o ex-assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz e que o Ministério Público e a Polícia Federal têm de cumprir sua função e investigar o caso Waldomiro e os desdobramentos do fato, como esse novo episódio. Genoino disse que existe, no Ministério Público, uma parte que politiza suas investigações, mas não generalizou essa avaliação para todo o MP. O presidente do PT fez essas declarações em entrevista coletiva, no Salão Verde da Câmara.TV mostra fita em que subprocurador conversa com bicheiro sobre Waldomiro MP investigará subprocurador que conversou com bicheiro PSDB usa fita do subprocurador como argumento a mais para criar a CPI do caso Waldomiro CPI é luta política, diz o Professor Luizinho Ministro da Justiça reúne assessores para discutir o caso da fita Senador Tuma estranha atitude do subprocurador Lula diz que conversa do subprocurador é "fato muito grave" Para deputados tucanos, atitude do subprocurador é normal

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.