Santo Daime está se popularizando na Grã-Bretanha, diz 'Times'

Seguidores no país se reúnem em segredo, já que o consumo da ayahuasca é ilegal.

Da BBC Brasil, BBC

08 de abril de 2008 | 06h45

O Santo Daime, religião cristã criada no Brasil e que tem como base o consumo da planta alucinógena ayahuasca, está ganhando cada vez mais adeptos na Grã-Bretanha, segundo afirma reportagem publicada nesta terça-feira pelo caderno de cultura do jornal britânico The Times.Segundo a reportagem, o número de britânicos adeptos do Santo Daime estaria em algumas centenas e crescendo "apesar de um obstáculo óbvio - o princípio ativo da ayahuasca, dimetiltriptamina (DMT), é uma droga classificada como classe A (classificação do governo britânico para as drogas mais pesadas)".O texto observa que os seguidores do Santo Daime na Grã-Bretanha se encontram de maneira secreta, temerosos de possíveis batidas policiais."Eles praticam a religião em suas casas, em centros comunitários, escolas e salões de igreja, muitas vezes dizendo aos anfitriões que precisam do local para um ensaio de coral", diz o Times. "Eles nunca anunciam os encontros, e os novos membros somente podem participar por convite.""Mas entre aqueles em busca de uma iluminação espiritual - e entre os 'new-agers' de fim de semana também - a novidade está se espalhando: os seguidores do Santo Daime afirmam que uma sessão com a ayahuasca é equivalente a cem horas de terapia", comenta a reportagem.Shangri-lá na AmazôniaO jornal enviou um repórter à comunidade do Céu do Mapiá, na Amazônia, que concentra 700 seguidores do Santo Daime, para "entender suas crenças e beber seu sacramento".Segundo o repórter, a comunidade é uma verdadeira "Shangri-lá" dos adeptos da religião, que "vivem seu sonho dentro da floresta". "Porque aqui, assim como em todo o Brasil, o uso da ayahuasca em um contexto religioso é perfeitamente legal, tratado até mesmo com deferência por acadêmicos, políticos, pesquisadores médicos e teólogos", diz o texto.O jornal relata que "a Igreja do Santo Daime nasceu nos anos 1930 a partir das experiências de um seringueiro brasileiro chamado Raimundo Irineu Serra, ou Mestre Irineu, como os seus seguidores o chamam".No Acre, Irineu experimentou a ayahuasca, dada por xamãs indígenas, e "passou oito dias e noites sozinho na floresta, experimentando uma série de visões e recebendo instruções da Virgem Maria, a quem ele chamou de 'Rainha da Floresta', que formou a base de uma nova religião".A reportagem comenta que a religião criada por Irineu era "predominantemente cristã com uma ênfase na natureza - nos espíritos da floresta tropical - e sustentava o crescimento espiritual por meio do consumo da ayahuasca durante rituais cuidadosamente definidos".O jornal relata ainda que "os grupos do Santo Daime acreditam que a ayahuasca, ou Daime, como a chamam, é uma manifestação de Jesus Cristo que os traz para mais perto de Deus"."Suas visões, algumas vezes aterrorizantes, algumas vezes alegres, os ajudam a tomar consciência de si mesmos, de seu universo e de seu deus." ExportaçãoA reportagem afirma que os seguidores do Santo Daime no Brasil dizem produzir mensalmente em Céu do Mapiá 2 mil litros de chá de ayahuasca, enviados ao exterior pelo correio em pacotes marcados como "chá". Uma porta-voz do Ministério do Interior britânico, ouvida pelo jornal, afirma porém que o tráfico de DMT para a Grã-Bretanha é ilegal e pode resultar em uma pena de prisão de até sete anos."Questionada se os acusados não poderiam citar o artigo 9 da Convenção Européia de Direitos Humanos, que garante a liberdade de pensamento, consciência e religião, ela disse que seria uma questão para os tribunais", diz o texto.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.