Sanguessugas têm até a próxima semana para renunciar

Os deputados acusados pela CPI dos Sanguessugas por suposto envolvimento no esquema de venda de ambulâncias superfaturadas às prefeituras terão até a próxima semana para renunciar a seus mandatos se quiserem fugir do processo de cassação. O presidente do Conselho de Ética da Câmara, deputado Ricardo Izar, informou que deve instaurar os processos no dia 22 de agosto.Depois de instaurados os processos, a renúncia ao mandato parlamentar não impede o prosseguimento do julgamento. Caso perca o mandato, o parlamentar fica inelegível por oito anos e perde os direitos políticos.Ao ser avisado que a Mesa da Câmara encaminharia ainda nesta terça-feira a representação contra os 69 deputados citados pela CPI, Ricardo Izar pediu, em conversa por telefone com o presidente da Câmara, Aldo Rebelo, que segurasse os processos um pouco mais e que a própria secretaria da Mesa deveria desmembrar os 69 processos porque o conselho não teria condições de preparar esses procedimentos.Izar disse que no dia 4 de setembro escolherá os relatores dos processos. Até lá, ele afirmou que terá providenciado a notificação dos deputados acusados. Hoje o conselho de Ética decidiu que o relator poderá se responsabilizar por mais de um processo ao mesmo tempo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.