Sanguessuga: Câmara abre Sindicância contra 16 deputados

São 16 os deputados que serão investigados pela Comissão de Sindicância da Câmara criada para apurar as suspeitas de fraude na licitação e compra de ambulâncias superfaturadas.De acordo com a lista divulgada há pouco pela Mesa da Câmara, outros 36 deputados foram excluídos das investigações por não constarem, segundo entendimento da Câmara, indícios contra eles. Além disso, no caso de outros 3 deputados que não foram incluídos nas investigações da Comissão de Sindicância, a mesa decidiu esperar apuração das investigações sobre os seus funcionários que foram acusados do recebimento de dinheiro para apurar eventual envolvimento.Entre estes três, está o deputado Nilton Capixaba (PTB-RO) cuja assessor , em conversa com um empresário da empresa Planan, mencionava a possibilidade do assassinato de um jornalista que apurava o esquema.Há ainda uma lista com seis deputados que tiveram servidores presos na operação sanguessuga mas a corregedoria vai esperar mais informações da investigação sobre os funcionários para decidir sobre o procedimento que adotará a respeito deles.A mesa da Câmara decidiu também que a corregedoria vai solicitar à Justiça informações sobre outros dois deputados citados para eliminar dúvidas existentes.Segundo adiantou o Blog do Noblat, os nomes a serem investigados são:Reginaldo Germano (PP-BA) Almir Moura (PFL-RJ) Fernando Gonçalves (PTB-RJ) Isaías Silvestre (PSB-MG) João Batista (PP-SP) João Correia (PMDB-AC) Marcos Abramo (PP-SP) Mauricio Rabelo (PL-TO) Neuton Lima (PTB-SP) Paulo Baltazar (PSB-RJ) Irapuan Teixeira (PP-SP) Reinaldo Gripp (PL-RJ) Ricarte de Freitas (PTB-MT) Vieira Reis (PMR-RJ) Wellington Fagundes (PL-MT) Zelinda Novaes (PFL-BA)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.