Sancionada lei que cria Sistema de Combate à Tortura

Objetivo é indentificar e enfrentar a prática do crime em delegacias, penitenciárias e casas de custódia

LUCI RIBEIRO, Agência Estado

06 de agosto de 2013 | 11h40

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff sancionou a lei que cria o Sistema Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, para identificar e enfrentar a prática do crime em locais como delegacias, penitenciárias, casas de custódia. O sistema será formado por conselhos de comunidades, conselhos penitenciários estaduais, corregedorias e ouvidorias de polícia. O texto, aprovado pelo Congresso em junho, foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União de segunda-feira, 5, com circulação nesta terça-feira, 6.

A nova lei prevê também a criação do Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura e o Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura. O comitê será composto por 23 membros, escolhidos e designados pela presidente da República, dos quais 11 de órgãos do Executivo federal e 12 de conselhos de classes profissionais e de organizações da sociedade civil.  Já o mecanismo deverá ser composto por 11 peritos, escolhidos pelo comitê. Esses peritos poderão visitar, sem aviso prévio, qualquer espaço de privação de liberdade, como presídios, penitenciárias, delegacias, casas de custódia, instituições socioeducativas, hospitais psiquiátricos e asilos, para apurar violações.

Tudo o que sabemos sobre:
torturaleiDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.