Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Samu terá mais de 1.400 ambulâncias em todo o País

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu)está sendo ampliado. Mais de 1.400 ambulâncias em todo o país vão prestar esse atendimento emergencial, muitas com unidades de terapia intensiva (UTIs). As pessoas envolvidas em um acidente ou que tenham um sério problema de saúde podem ligar gratuitamente para o 192 e pedir socorro.O atendimento precoce feito pelas equipes de médicos e enfermeiros do Samu/192 pode reduzir significativamente amortalidade, o tempo de internação hospitalar e até mesmo seqüelas que um paciente correria o risco de ter se não recebesse atendimento médico imediato. Para oficializar o serviço, que já funciona em algumas cidades, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai a São Bernardo do Campo, na próxima segunda-feira, segundo a Agência Brasil, lançar a rede de atendimento para todo o Brasil.O Samu já funciona em Belém (PA), inclusive com uma ambulância em uma lancha, a "ambulancha". Também já está instalado em Recife (PE), Belo Horizonte (MG), Natal (RN), Aracaju (SE), São Paulo (SP), Porto Alegre (RS), Betim (MG), Campinas (SP), Vitória da Conquista (BA) e Fortaleza (CE). Esses municípios integram a rede nacional do serviço de atendimento emergencial, o principal componente da Política Nacional de Atenção às Urgências, lançada em 2003 pelo governo federal.O Ministério da Saúde investirá, até o fim de 2004, R$ 300 milhões na criação do Samu nas cidades e regiões de maiorcontingente populacional. Ao todo, serão 1.700 municípios beneficiados. Mais de 118 milhões de habitantes poderão recorrer ao Samu/192.Com o Samu também será possível identificar potenciais doadores para transplantes de órgãos, além de melhorar a notificação de acidentes de trabalho e violência contra mulheres, crianças e idosos. Para sustentar esse serviço, serão disponibilizados R$ 180 milhões por ano. Centrais de atendimento, para atender aos pedidos de socorro, serão instaladas. Ao todo, 152 centrais médicas vão funcionar 24 horas por dia, sempre com a presença de um médico para atender à população.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.