Salvador monta força-tarefa contra a dengue

O aumento dos casos de dengue na capital baiana fez o prefeito Antonio Imbassay (PFL) criar uma espécie de força-tarefa para combater os focos do mosquito Aedes aegypti na cidade. Vários órgãos municipais e estaduais, além de entidades de classe como a Associação Baiana de Medicina e o Sindicato da Construção Civil participam da ação, cujo objetivo prioritário é identificar locais que podem ser criadouros das larvas do mosquito. Nesse sentido, a prefeitura orientou os agentes sanitários a entrar em terrenos e casas abandonados que podem acumular água, propiciando o desenvolvimento do mosquito. A população também está sendo orientada a denunciar locais onde possa haver focos do mosquito. Um dos maiores encontrados recentemente na cidade foi no antigo parque aquático Wet´n Wild, fechado há mais de um ano na Avenida Paralela, que liga o aeroporto ao centro de Salvador. As piscinas do local acumularam água das chuvas e se transformaram em locais propícios para a proliferação do mosquito. Este ano, a Secretaria de Saúde do Estado tem notificados 2.175 casos de dengue, dos quais 624 de Salvador.Os pacientes tiveram a manifestação clássica da doença, mas há 15 casos suspeitos de serem do tipo hemorrágico, que estão sendo investigados. Uma suposta vítima de dengue hemorrágica é Jorge Freitas de Jesus, de 38 anos, que morreu no Hospital Geral do Estado esta semana. Ele também pode ter morrido de meningite. Somente em uma semana o Laboratório Central da Bahia divulgará o resultado dos exames.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.