Salário dos marajás pode ser divulgado

O ministro da Previdência Social, Ricardo Berzoini, levantou este sábado a possibilidade de divulgação dos nomes dos servidores públicos que recebem salários acima do teto estabelecido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que hoje é deR$ 17 mil. Segundo o ministro, há uma proposta nesse sentido em estudo no ministério da Previdência."Vocês acham justo que no Brasil tenhamos remunerações nesses patamares parapessoas que já tiveram durante toda a vida salários bastante acima da média?", indagouBerzoini, muito aplaudido por uma platéia de cerca de 200 aposentados, na manhã deste sábado, na sede do Sindicato Nacional dos Aposentados e Pensionistas da Força Sindical, em São Paulo. Além dessa possibilidade, o ministro garantiu que, a partir da semana que vem, o ministério estará disponibilizando uma lista na internet com o nome dos devedores da Previdência Social. Segundo ele, a divulgação vai tornar-se rotina no governo: "Isso será feito a cada três meses. É um compromisso do governo para cobrar os devedores."E continuou: "A lista com todos os nomes dos devedores é uma obrigação legal, e me espanta que isso nunca tenha sido cumprido". Segundo Berzoini, a legalidade da divulgação da lista de inadimplentes é garantida pela lei 8.212.No encontro com os aposentados, o ministro ressaltou a necessidade de se pôr fim às fraudes registradas ao longo de vários governos. "O grande desafio da Previdência hoje é o combate às fraudes. É preciso prender as quadrilhas que agem de fora para dentro como advogados", disse, conclamando os aposentados a denunciar todas asfraudes de que tiverem conhecimento.A proposta de um teto salarial para os servidores tem causado polêmica desde que o governo federal anunciou que estuda incluir na reforma da Previdência Social a proposta de criação do teto salarial para os servidores públicos da União,Estados e municípios. "Devemos saber que é preciso ter o mínimo de bom senso paraa questão remuneratória," defendeu o ministro.A reivindicação de fixar um teto salarial foi feita pelos governadores ao presidenteLuiz Inácio Lula da Silva. E o objetivo dos governantes é evitar o pagamento desalários estratosféricos, principalmente na esfera dos Estados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.