Saída do ministério é 'normal', diz ex-titular dos Transportes

Paulo Sérgio Passos deixou o cargo oficialmente nesta quarta-feira e deve assumir direção da ANTT

Rafael Moraes Moura, de O Estado de S.Paulo

03 Abril 2013 | 11h53

Brasília - O ex-ministro dos Transportes Paulo Sérgio Passos disse na manhã desta quarta-feira, 3, que a troca de comando na pasta é um "fato absolutamente normal". Passos foi substituído pelo ex-governador da Bahia César Borges, em um esforço da presidente Dilma Rousseff para atrair o PR e pavimentar alianças no caminho da campanha à reeleição em 2014. O PR foi um dos principais alvos da "faxina" promovida pela presidente no início de seu mandato, após denúncias de irregularidade divulgadas pela imprensa.

"A troca de ministros em um processo democrático é fato absolutamente normal. A pasta tem valores e tem um novo valor que chega, que é o ministro César Borges", disse Passos a jornalistas, após uma rápida cerimônia no Palácio do Planalto, na qual nem ele nem o novo ministro discursaram. "Atribuo a saída a um processo normal, natural, próprio de um governo que se apoia numa coalizão política. Eu estava lá não como um representante do partido, mas como alguém da confiança da presidenta designado por ela. E foi dessa forma que eu trabalhei até agora."

Durante a cerimônia, Dilma anunciou que encaminhou o nome de Passos para assumir a diretoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O PR tem a oferecer à presidente 1 minuto e 10 segundos na propaganda política. Em 2012, o partido não conseguiu substituir Passos e apoiou o ex-governador José Serra (PSDB) à Prefeitura de São Paulo, contra Fernando Haddad (PT).

"Ela (Dilma) entende que eu posso dar uma contribuição na ANTT, que é uma agência reguladora que tem grande importância, terá essa importância realçada ainda por projetos como o Trem de Alta Velocidade, as concessões. Eu me coloco como um soldado da presidenta. Como fui até agora no Ministério dos Transportes", afirmou.

Dilma disse em discurso que "ao longo dos últimos anos, não só no meu governo, mais ainda no governo do presidente Lula, Paulo Sérgio teve importante papel no Ministério dos Transportes".

"O César Borges consolida a participação do PR na nossa coalizão de governo, o que para nós é importante. Quero dizer ao Paulo Sérgio, que vai para uma nova função, e para o César Borges, que chega para uma outra função dentro do governo, que com esse time consolidado e reforçado, espero que consigamos fazer mais e melhor", destacou a presidente.

Mais conteúdo sobre:
Transportes posse Paulo Passos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.