Saiba quem é Jackson Lago, governador na mira do TSE

O governador do Maranhão, Jackson Lago (PDT), nasceu em Pedreiras, em 1 de novembro de 1934. Formou-se médico e é casado com Clay Lago, também médica, que ocupou a secretaria de Solidariedade Humana durante o governo anterior de José Reinaldo Tavares. Lago foi prefeito de São Luís por duas vezes (1989 a 1992 e 1997 a 2000). Ele foi eleito para um 3º mandato em 2000, mas ficou poucos meses no cargo porque concorreu ao governo do Estado - perdeu. Lago chegou ao governo na eleição de 2006. Foi por esta eleição que a sua adversária- Roseana Sarney (PMDB)- decidiu entrar com ação contra ele. A coligação Maranhão do Povo ao governo do Maranhão em 2006 pediu a cassação do governador Jackson Lago (PDT) alegando a suposta omissão de dados da prestação de contas da campanha, abuso de poder econômico e político e compra de votos. Já no ano seguinte, 2007, ele esteve à frente de diversas investigações, como a Operação Navalha. Alvo da ação, o governador do Maranhão, Jackson teria liberado R$ 6,12 milhões para a construtora Gautama entre 9 de março e 25 de abril. Foram 4 depósitos para a empresa de Zuleido Veras, apontado pela Polícia Federal como chefe de esquema de fraudes em obras públicas. Em 2006, José Reinaldo Tavares (PSB), antecessor de Lago, liberou 12 pagamentos para a Gautama no valor total de R$ 25, 4 milhões. Juntos, Lago e Tavares pagaram, em apenas 16 meses, R$ 31, 57 milhões para a empreiteira que o Tribunal de Contas da União (TCU) mantém sob suspeita desde 2002.  Auditores do TCU indicam obras superfaturadas e aditivos contratuais em desacordo com a Lei de Licitações.  Em 2007, ele foi alvo de uma representação enviada à Procuradoria-Geral de Justiça do Maranhão pelo suposto rombo de R$ 152, 5 milhões nos cofres públicos da Prefeitura de São Luís. O desvio teria ocorrido através da contratação de empreiteiras sem licitação. O governador nega.  Nepotismo  Antes da decisão do Supremo Tribunal Federal, que no ano passado vetou a prática do nepotismo no País, Lago foi acusado de ter a maior "linhagem de nepotismo de maior extensão de que se tem notícia no Brasil". O listão de parentes e contraparentes nomeados por Lago para cargos públicos chegou a 23 pessoas - entre elas dois irmãos, quatro sobrinhos, três primos e um genro. Nomeada secretária particular do governador, a primeira-dama Maria Clay Moreira Lago abriga no governo dois irmãos, seis sobrinhos e dois primos. E, primo do governador e chefe da Casa Civil,Aderson Lago pendurou nos cofres maranhenses pelo menos dois sobrinhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.