Sábado será dia de campanha contra câncer de pele

A Sociedade Brasileira de Dermatologia promove no próximo sábado uma campanha para detecção precoce de câncer da pele.Entre 8 e 16 horas, dermatologistas de todo o País vão examinar a população em 130 postos de atendimento. Além do diagnóstico, as pessoas serão encaminhadas para tratamento, se necessário.O esforço se explica: todos os anos, são diagnosticados no Brasil cerca de 100 mil casos novos de câncer da pele, de acordo com estimativas da Sociedade Brasileira de Dermatologia."Desde a década de 50, assistimos ao aumento da incidência desse tipo de câncer. Hoje, em todo o mundo, o número de casos aumenta 10% ao ano", afirma o coordenador do Programa Nacional de Controle do Câncer da Pele, Marcus Maia.O dermatologista atribui a elevação do número de casos a dois fatores: a exposição excessiva ao sol e também à melhora no diagnóstico. "Em alguns países, onde campanhas informativas foram grandes, começa a ser registrada uma estabilização do número de casos da doença." Entre os países estão a Austrália e o Canadá."No Brasil, há ainda muito a ser feito", diz. Maia lembra que um número significativo de pacientes somente recorre ao médico quando o câncer já está em fase avançada. "O câncer da pele é um dos mais fáceis de serem combatidos. Sabemos as causas e os pacientes mais suscetíveis à doença."Os fatores de risco clássicos afetam principalmente pessoas de pele ou olhos claros. Mas negros ou orientais não estão livres do problema. Maia afirma que, entre as pessoas de raça negra, há vários casos de um tipo de melanoma - o mais agressivo.Ele se caracteriza por manchas escuras, que aparecem principalmente na sola dos pés ou na pele sob as unhas. No Nordeste, entre os melanomas diagnosticados, cerca de 60% são desse tipo, batizado de acrolentiginoso. "Esse tipo de câncer afeta geralmente pessoas de mais idade; por isso, é preciso sempre ficar muito atento."Todos os anos, cerca de 2 mil brasileiros morrem em decorrência do câncer da pele. A maioria é vítima de melanoma, um das três formas do câncer. "Quando o diagnóstico é feito ainda na fase inicial, as chances de cura são boas", diz.O melanoma geralmente se desenvolve em pintas. Por essa razão, ao menor sinal de alterações na coloração, tamanho ou textura nas pintas é preciso procurar um médico. "Em muitos casos, quando o melanoma se alastra apenas no sentido horizontal, obtemos ótimos resultados com tratamento." Mas, quando o crescimento começa a ocorrer no sentido vertical, as chances de êxito diminuem drasticamente. Além do diagnóstico, prevenção também é imprescindível: "Proteger-se do sol é o principal." O uso de filtro solar, completa, é extremamente útil, mas não é tudo. "Não adianta passar o produto se a pessoa ficar ao sol no horário inadequado."Entre os locais de atendimento em São Paulo estão Hospital das Clínicas, a Santa Casa e o Hospital São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.