Ruy Mesquita e o ´Estado´ são homenageados

O jornalista Ruy Mesquita, diretor de Opinião de O Estado de S. Paulo, recebeu nesta quarta-feira à noite, das mãos do governador Geraldo Alckmin, o Prêmio Personalidade da Comunicação 2004, no evento que abriu o 7.º Congresso Brasileiro de Jornalismo Empresarial, Assessoria de Imprensa e Relações Públicas. "Aceitei exclusivamente porque queria que fosse uma homenagem não a mim, mas ao jornal que hoje dirijo, seguindo os rumos traçados pelos que me antecederam", disse Ruy Mesquita, ao agradecer a indicação.As lutas pela democracia e pela liberdade de imprensa foram alguns dos atributos mais citados pelos que prestigiaram a entrega do prêmio. "Ruy Mesquita é um exemplo da importância da imprensa livre para o Brasil", afirmou a prefeita Marta Suplicy. "Eu era universitária e lia os poemas e receitas de bolo no lugar das reportagens censuradas. Lembro com alegria, pois eles eram um sinal de esperança em meio à ditadura militar."Em seu discurso, o diretor do Estado lembrou que o sucesso do jornal se deve à união da família Mesquita e à tomada de posições bastante claras. "Fomos sempre imparciais na informação, mas absolutamente engajados nos principais embates políticos nacionais e internacionais."O jornalista alertou, porém, que isso só é possível quando há separação entre os lados comercial e editorial das empresas de comunicação. "Esse tipo de jornalismo sofre uma terrível ameaça que chamo de ?murdockização? da imprensa", observou, em referência ao empresário Rupert Murdock, que investe em empresas de mídia no Reino Unido apenas com o objetivo de obter lucro. "Se ele achasse que fabricar salsichas seria mais lucrativo, teria seguido este caminho, em vez de investir em veículos de comunicação."Antes de receber o troféu, que em edições anteriores foi entregue aos jornalistas José Hamilton Ribeiro, Vera Giangrande, Miguel Jorge, Alberto Dines e Mino Carta, Ruy Mesquita ouviu seu filho, Ruy Mesquita Filho, mostrar a importância do jornal no registro da história brasileira, como nas crônicas de Júlio Mesquita sobre a 1.ª Guerra Mundial ou os relatos de Euclides da Cunha sobre Canudos. A mais recente obra publicada pelo Grupo Estado, São Paulo de Piratininga: de Pouso de Tropas a Metrópole, foi toda produzida com imagens do arquivo do jornal.Ao encerrar o evento, Alckmin elogiou a "intransigente defesa da democracia e o enorme amor ao Brasil" por parte de Ruy Mesquita. "São lutas aguerridas que sempre levaram à vitória, ainda que nem sempre imediatas. O Estado escreve a história de uma maneira muito especial, de luta pela democracia, justiça e desenvolvimento nacional."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.